Call Por Papers – Pt

Congresso interdisciplinar do Grupo de Trabalho Brasil da ADLAF Associação Alemã de
Pesquisas sobre a América Latina, 04 e 05/12/2015, Universidade de Hamburgo
Data límite para propostas (aprox. 2500 carateres): 04 / 09 / 2015
A água é objeto de interesse da arte e da filosofia desde os tempos mais remotos. Esse elemento primordial para a vida humana já fora descrito pelos filósofos gregos da antiguidade como um dosquatro elementos, além de ser representado como uma divindade. No contexto brasileiro, a tematização da água nas artes e na literatura conta com uma vasta tradição, ora sob a ótica da abundância, ora sob a perspectiva da escassez, como no caso da seca no país. Algumas obras seminais da literatura brasileira servem aqui de exemplo: Vidas Secas, de Graciliano Ramos, o Quinze, de Raquel de Queirós, Os Sertões, de Euclides da Cunha, Grande Sertão Veredas, de Guimarães Rosa, e a epígrafe acima, de uma canção de 1977, a qual já denunciava as consequências da transposição do Rio São Francisco.